quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Eu cria que 2009 seria perfeito, mas creio que 2010 será ainda mais!!

Adeus ano velho, feliz ano novo!! E creio que os próximos 365 dias serão de muita labuta e muito cansaço, mas também de muita felicidade e muitas conquistas!

Enquanto isso, vamos dar uma olhadinha na conjugação do verbo crer, que é um verbo lindo, muito usado e que as pessoas não tem muita noção de como se conjuga...

A imagem foi retirada do Dicionário Eletrônico Houaiss 3.0.




FELIZ 2010!!!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Exceção em excesso...

Essa é uma das dúvidas mais comuns... Muitas pessoas não sabem se é exceção, ecessão, esseção, se está em excesso, em essesso, ecesso.. e por aí vai.
Então, vamos as esclarecimentos.

Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa:

EXCEÇÃO
substantivo feminino
ato ou efeito de excetuar
1 desvio de uma regra ou de um padrão convencionalmente aceito
2 aquele que se desvia ou exclui de regras e padrões
3 não inclusão
Ex.: com e. da loura, todos saíram
4 condição ou situação privilegiada
Ex.: tirava proveito das e.
5 Rubrica: termo jurídico.
meio de defesa, regular e indireto, us. pelo réu com a finalidade de excluir os direitos do autor da ação ou retardar a decisão definitiva da causa.


e
EXCESSO
substantivo masculino
1 diferença para mais, de uma quantidade sobre outra
2 o que passa da medida, dos padrões de normalidade, do que é legal; exagero
Ex.: e. de gordura, e. de gestos
3 qualidade de redundante; redundância
4 aquilo que sobra; sobejo
5 ação descontrolada, sem moderação; desmando, desregramento (mais us. no pl.)
Ex.: levava uma vida de excessos e morreu cedo
6 abuso, violência (mais us. no pl.)
Ex.: a polícia não deve praticar excessos
7 limite extremo; cúmulo
Ex.: e. de amor, e. de corrupção
8 Rubrica: física nuclear.
valor que expressa a diferença entre a massa atômica de um dado nuclídeo e o número de massa correspondente
9 Rubrica: geometria diferencial.
diferença entre 2 pi e a integral da curvatura geodésica ao longo de uma curva fechada contínua (se a curva apresentar vértices, subtrai-se ainda a soma dos ângulos externos).


Então, não cometamos excessos, nem exceções.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

"Menas" dúvidas em português

Dessa vez a falha vem do corpo discente. "Essa prova tem menas matérias que a outra" ou qualquer coisa do tipo...

Pessoal.. NÃO!!! Menos é advérbio. Advérbios não têm variação. E não adianta vir argumentar que muito varia pra muita, muitos e muitas, porque quando o muito varia é porque ele é um pronome indefinido e não um advérbio. Você não diz "ela cresceu muita". No máximo, "ela cresceu muitos centímetros", ou algo semelhante. Menos é menos e pronto.

Então, pessoal, não tem menas matéria, não tem menas coisas, menas roupas, nem menas nada. é menos e só.

"A nível de" língua....

Como de costume, estávamos em mais uma aula em que o português fica em segundo plano e a mestra dizia com frequência "a nível de corpo", "a nível de pulmão", "a nível de sei lá mais o quê"... enfim... Ai, Deus... por que as pessoas acreditam em tudo o que ouvem? O "a nível de" já gerou tanta polêmica. Tantos estudiosos já falaram e explicaram isso tantas vezes, até mesmo na tevê. Mas não adianta. A tradição oral é mais forte do que um professorzinho qualquer de português que fala regras bestas na televisão. O que ele pode saber? Fala sério...

Mas vamos ao "a nível de".
De acordo com o Manual de Redação e Estilo da Folha de São Paulo, de autoria de Eduardo Martins (não, ele não faz novela):

"1 - A locução a nível de, modismo desnecessário e condenável, tornou-se uma das mais terríveis muletas linguísticas da atualidade, em substituição a praticamente tudo que se queira. Veja alguns casos em que a locução aparece e como evitá-la: Decisão 'a nível de' diretoria (decisão de diretoria); O clube está fazendo contratações 'a nível de' futuro (contratações para o futuro); Pude avaliar o técnico 'a nível de' (como) pessoa pública (...)

"2- Em determinados casos podem ser usadas as locuções no plano (de) e em termos de. Ou, em última instância, no nível de e em nível de (uma vez que nível rejeita o a sozinho): Os candidatos teriam hoje 'a nível' nacional (no plano nacional, em termos nacionais), 24% das intenções de voto; O grupo elevou a entidade 'a nível' primeiro-mundista (ao nível primeiro-mundista).

"3 - Existe, ainda, ao nível de, mas apenas com o significado de à mesma altura: ao nível do mar."

Então, "a nível de" língua, não use "A NÍVEL DE". Ponto.

Intercedendo em favor do português

Eu sei que estou fazendo outra faculdade, e que português, teoricamente, não é mais a minha área. Mas pra mim é sim, pois continuo fazendo revisões, adoro o que faço e acho que não importa a área que as pessoas escolhem, Português é língua materna de todos nós e o mínimo que podemos fazer é falá-la e escrevê-la corretamente.

Semana passada estávamos em uma aula estudando conjuntos. E o professor escreveu a palavra "interceção". Todos acharam aquilo estranho, mas ficaram confusos sobre onde seria o erro, se no primeiro "c" ou se no "ç". Vamos então à explicação:

Existem 2 tipos de "interceção" e nenhum deles é escrito dessa maneira. Um deles é justamente o que estávamos estudando "interseção", que segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa é

substantivo feminino
1 encontro de duas linhas ou de dois planos que se cortam; cruzamento
Ex.: a i. entre duas avenidas
1.1 ponto onde se dá esse encontro
2 corte, principalmente quando feito pelo meio do objeto
3 Rubrica: matemática.
operação pela qual se obtém o conjunto formado pelos elementos comuns a dois outros conjuntos
4 Derivação: por extensão de sentido. Rubrica: matemática.
o conjunto determinado por essa operação (denota-se pelo sinal U de cabeça para baixo ); produto

e o outro que é a "intercessão", do verbo "interceder"

substantivo feminino
ato de interceder; intervenção

Portanto, intercedendo em favor da Língua digo: o correto no caso em questão seria "INTERSEÇÃO".

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Re-publicando

Postei esse texto no ano passado. Como muitas pessoas com quem convivo falam dessa forma, resolvi publicar esse post novamente.

Muitas vezes escutamos e até lemos pessoas dizendo frases do tipo "você vai vim hoje?". Definitivamente a resposta é: NÃO! Vai vim não chega a canto algum!!

VIM é forma de primeira pessoa do singular do pretérito perfeito de VIR "eu vim"... por exemplo: Eu vim a este lugar há um ano.

VIR é o verbo em sua forma de infinitivo. Exemplo: Eu vou vir aqui mais tarde. Ele vai vir.

Pior ainda quando dizem algo assim "Quando ele vim, me avisa." O 'me avisa' a gente ainda tolera, porque é algo como uma comodidade da fala... As pessoas para não parecerem soberbas, arrogantes ou inteligentes, não sei, preferem a forma equivocada de construção, ou seja em vez de 'avise-me', 'me avisa'. Até aí tudo bem, mas daí a 'quando ele vim'... DEUS!! Que acontece? Onde está o ensino de Português neste país???
Nesse caso, o correto é 'Quando ele vier', forma subjuntiva de VIR.

Atenção! Pois já vi inclusive professores falando 'vai vim'.... o certo é que assim, ninguém chega a lugar nenhum!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Antônimo de quente: frio. Antônimo de fogo: água?

Claro que não! Pelo amor de Deus!

Apesar do que algumas pessoas podem pensar e ensinar para sua turma, acreditando que ninguém tem noção de língua portuguesa, água não é antônimo de fogo, nem vice-versa. É nessas horas que vemos que nem os professores têm noção da língua que falam. E ainda aproveitam-se de que os alunos sabem menos do que eles e falam absurdos como esse em sala de aula. O pior é que muita gente acredita nisso. E vai chegar em algum lugar, algum dia e vai afirmar "o antônimo de fogo é água. Meu professor disse." É quase o mesmo que dizer que o antônimo de terra é ar e o de gato é cachorro. Faz sentido?

Os antônimos descritos em dicionário para a palavra fogo são relacionadas aos usos em sentidos figurado do termo, que podem significar desde "lar, residência", até "estado de excitação sexual", "bebedeira". Enfim. O dicionário Houaiss da Língua POrtuguesa dá os seguintes significados:

substantivo masculino
1 fenômeno que consiste no desprendimento de calor e luz produzidos pela combustão de um corpo; lume
2 língua de fogo, labareda, chama
3 fogaréu, tocha, facho
4 incêndio, combustão
Ex.: o f. destruiu a mata
5 lugar onde se faz fogo; fogão, fogueira, lareira
Ex.: sentou-se ao pé do f.
6 casa de habitação; lar, residência
Ex.: uma vila com uma centena de f.
7 tiro de uma arma de fogo, de fuzilaria
Ex.: f. cruzado
8 o martírio da fogueira
Ex.: condenado ao f.
9 cauterização com ferro em brasa
10 sensação repentina de quentura; fogacho
11 Derivação: sentido figurado.
luminosidade intensa; brilho
Ex.: o f. de um olhar febril
12 Derivação: sentido figurado.
vivacidade de inteligência, de espírito etc.; fulgor, brilho
13 Derivação: sentido figurado.
caráter ardente, apaixonado; entusiasmo
Ex.: o f. da mocidade
14 Derivação: sentido figurado.
estado de excitação sexual
15 Derivação: por metonímia (da acp. 1).
objeto que produz fogo; fósforo, isqueiro
Ex.: poderia emprestar-me o seu f.?
16 Diacronismo: antigo.
farol us. para guiar os navegantes
17 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
bebedeira, pileque
18 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
aguardente de cana; cachaça


E os antônimos são:
ver antonímia de bebedeira e sinonímia de prostração

Ou seja:
abstemia, abstinência, alcoolofobia, sobriedade
e
abatimento, acabrunhamento, acédia, alquebramento, atimia, atonia, cansaço, debilidade, derreamento, desalento, desânimo, esmorecimento, exaustão, extenuação, fraqueza, indolência, inércia, languidez, lassidão, letargia, marasmo, melancolia, moleza, prosternamento, torpor, tristeza.

Em síntese: antônimo de fogo, em dicionário nenhum do mundo, é água.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Tem muita sujidade no mundo...

Outro dia estávamos numa monitoria depois da hora.. todo mundo cansado e a monitora me solta esse palavrão: sujidade. Não me recordo o contexto, mas sei que todos ficamos meio confusos - eu inclusive - "sujidade? que garota burra! de onde tirou isso?".. e por aí foi...
Bem.. contrariando todas as expectativas, a palavra de fato existe e significa o mesmo que sujeira.

Segundo o dicionário Houaiss da Língua Portuguesa:

substantivo feminino
característica, condição ou estado do que é ou está sujo; sujeira
1 aquilo que suja; imundície, porcaria, sujo
Ex.: a pátina é uma s. do tempo
2 excremento
Ex.: mandou limpar a s. do cachorro
3 Derivação: sentido figurado.
delinquência moral; devassidão
Ex.: muitos viram no naturalismo apenas s. de sexo

Os letrados também erram. Sou letrada, mas não sou um dicionário ambulante, né? E estou aqui dando meu braço a torcer. :)

domingo, 25 de outubro de 2009

Predação

Texto que traduzi para a Revista Pensata Animal. Muito interessante como todas as outras matérias. Quem tiver interesse em ler é só clicar AQUI.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Quem soa é....

Sino.
Mais uma pérola para o blog.
"Os animais também soam". NÃO! Quem soa é sino. Soa do verbo SOAR. Os animais SUAM. Suam do verbo SUAR. "Ah, mas é tão feio 'suam'". Não. Não é. Feio é SOAM. Suar vem do latim sudo, sudare. Então, ainda que ache feio, o correto é SUAM e não SOAM. A menos que você esteja falando de barulho, ruído, som.

domingo, 11 de outubro de 2009

Novo crédito

Mais um crédito. Dessa vez como tradutora, mas também estou cuidando da coordenação dos textos... enviando para os tradutores, vendo prazos, etc. Enfim, coordenando mesmo a parte dos colaboradores. Muito legal! Revista Pensata Animal, uma revista que trata dos direitos dos animais. Um assunto muito importante e que tem tido grande visibilidade.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

ABNT

Normas da ABNT atualizadas para ajudar o pessoal que, como eu, está fazendo trabalhos que demandam o uso de normas nas referências bibliográficas principalmente.
Abaixo estão algumas das regrinhas básicas - claro que são bem mais -, mas estou disponibilizando também um link onde podemos baixá-las na íntegra.

O site em que peguei essas imagens é http://www.scribd.com/doc/4076836/ABNT-Manual-II
Para baixar as normas, visitem: http://www.bu.ufsc.br/framerefer.html






segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Novo acordo ortográfico.. tirando dúvidas.

Muito foi dito acerca do novo acordo ortográfico. Muitas dúvidas foram sanadas, mas outras tantas apareceram e outras, ainda, se mantiveram.

Novamente, na faculdade, hoje, tendo uma ótima aula (teria sido perfeita, não fosse esse pequeno mal-entendido), a excelentíssima mestra me solta uma pérola: ela escreveu Úmero corretamente, mas depois se corrigiu, dizendo que, segundo o novo acordo ortográfico, as palavras proparoxítonas não eram mais acentuadas. O problema é que nessa hora ela mexeu no meu campo. Se ela tivesse dito que úmero não tinha mais acento porque houve um acordo de que a sílaba tônica passaria a ser o "ME" em lugar do "Ú", tudo bem, nada a discutir, pois dessa área ainda não estou muito a par. Mas não. Ela disse claramente "segundo o novo acordo ortográfico". Então eu falei "não, professora. As proparoxítonas continuam acentuadas. Todas. O que mudou foram algumas regras com relação às paroxítonas." Nem mencionei as oxítonas porque, admito, não li muito ainda sobre esses casos. Mas enfim.. então, muito delicadamente ela disse "mudou sim. Você deveria se informar melhor sobre o assunto."

Adoro professores que acham que sabem tudo. Muito bem. Cá estou - plenamente ciente das não mudanças ortográficas no que diz respeito às proparoxítonas, mas ainda assim, para bem de todos e esclarecimento geral da nação - com o guia elaborado pelo gramático Evanildo Bechara (para quem não o conhece, um dos maiores gramáticos da atualidade, senão O melhor) sobre O que muda com o Novo Acordo Ortográfico. Acho que isso basta pra convencer alguém das regras, não é?

Bem, de acordo com o digníssimo gramático, na página 39 do dito guia, "NÃO HOUVE MUDANÇAS quanto às regras de acentuação das palavras proparoxítonas."
Para maiores elucidações, ele segue:
"Regra mantida: 1ºSÃO ACENTUADAS as palavras proparoxítonas que apresentam na sílaba tônica as vogais abertas ou fechadas grafadas a, e, o e ainda i, u, ou ditongo oral:

árabe, cáustico, cheiíssimo, Cleópatra, esquálido, público, rústico, último, anacreôntico, cânfora, hermenêutica, nêspera, etc.

"Regra mantida: 2º SÃO ACENTUADAS as chamadas proparoxítonas aparentes, isto é, que apresentam vogais abertas ou fechadas na sílaba tônica grafadas a, e, o e ainda i, u, ou ditongo oral que terminam por sequências vocálicas pós-tônicas consideradas, na prática corrente, como ditongos crescentes (-ea, -eo, -ia, -ie, -io, -oa, -ua, -uo, etc.):

álea, náusea; étero, níveo; enciclopédia, glória; barbárie, série; lírio, prélio; mágoa, nódoa; exígua, língua; exíguo, vácuo; amêndoa, argênteo; côdea, Islândia, Mântua, serôdio.

"Regra mantida: 3º SÃO ACENTUADAS as palavras proparoxítonas, reais ou aparentes, cujas vogais tônicas grafas e ou o estão em final de sílaba e são seguidas das consoantes nasais grafadas m ou n, conforme o seu timbre seja, respectivamente, aberto ou fechado na pronúncia culta da língua em cada país lusófono: (exemplos transcritos aqui apenas do português do Brasil)

acadêmico, anatômico, cênico, cômodo, gênero, blasfêmia, Gênio, tênue, etc. (Todas essas palavras posssuem uma acentuação distinta em outros países lusófonos, e seu timbre varia entre aberto e fechado)

NÃO CONFUNDIR: Nos países lusófonos em que a pronúncia da vogal tônica for aberta, palavras deste tipo continuarão com acento agudo e sendo pronunciadas com o timbre aberto. Já nos países lusófonos em que a pronúncia for fechada (como é no Brasil), estas palavras continuarão com acento circunflexo e sendo pronunciadas com o timbre fechado."

Bem, resumidamente, pode-se dizer que, de acordo com o novo acordo ortográfico, "TODAS AS PALAVRAS PROPAROXÍTONAS SÃO ACENTUADAS".


Fonte: BECHARA, Evanildo. O que muda com o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

sábado, 19 de setembro de 2009

Querem matar o vernáculo!!

Estava eu esses dias na faculdade... feliz, contente, assistindo uma aula ótima... bom.. sem comentários sobre a aula... mas o professor da dita aula - cujo nome está sendo preservado - me solta uma pérola... ah... as pérolas da veterinária... essas ninguém coloca na comunidade do orkut...
Bem, ele estava usando uma série de termos técnicos que nós, como primeiro período, obviamente, não conhecemos... bem eis que ele decide nos dar um "conselho":

"Vocês precisam se acostumar com esses vernáculos!"

MEU DEUS!!!! Eu quase levantei e disse pra ele esquecer o vernáculo e ensinar os termos técnicos que era melhor..

Vamos lá... o que é o vernáculo?
Para quem não sabe, o vernáculo é a nossa língua materna. Segundo Houaiss, vernáculo é:
adj. 1 próprio de um país, nação, região 2 fig. diz-se da linguagem correta, sem estrangeirismos na pronúncia, vocabulários ou construções sintáticas; castiço. s.m. 3 a língua própria de um país ou de uma região; língua nacional, idioma vernáculo

O que o professor tentou nos aconselhar foi "Vocês precisam se acostumar com esses VOCÁBULOS". Vocábulo, que é o mesmo que termo, palavra.. ele quis dizer que precisamos nos acostumar com os termos técnicos da Medicina Veterinária.
Legal, teacher, mas pra nos acostumarmos com os vocábulos técnicos, precisamos saber o que significam, certo?

Por hoje é só, pessoal!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Anti-sociável sim!

Depois de meses sem postar, volto à ativa...
Ontem estava na faculdade (estou cursando Veterinária!!) e o pessoal estava perguntando se eu ia ao "pedágio" que ia acontecer hoje, se não me engano. Eu disse que não... que eu era uma pessoa anti-sociável. Nessa hora uma menina da minha turma disse: anti-sociável não. Anti-social. E eu disse: Não. Anti-sociável.

Vamos lá...
De acordo com o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, ANTI-SOCIAL é:
adj.2g. 1 contrário às ideias, costumes ou interesses da sociedade; transgressor das regras da vida em sociedade e da moral social
2 que vai contra os interesses favoráveis a melhores condições sociais para os trabalhadores.

já ANTI-SOCIÁVEL é descrito da seguinte forma:
adj.2g. que se opõe ou é indiferente ao convívio social; insociável.


Ou seja... eu realmente sou ANTI-SOCIÁVEL. Doa a quem doer!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009




Créditos!!
Revista Plano B
Uma revista muito boa sobre audiovisual, cinema. O Editor é Thiago Iacocca que faz um trabalho maravilhoso!
Confiram no site www.revistaplanob.com